quarta-feira, dezembro 30, 2009

Não acho nada bem...

... marcar encontros inadiáveis no final do ano. Pensamos nisso para o ano, se os houver, afinal falta tão pouco. E também não vou falar do que me chateou este ano. Nem do que me fez bem. Os resumos ficam para depois. A tradição deixou de ser o que era. Verdade. Ainda volto, se me apetecer.

Um filme...

...visualmente muito bonito e especial. Como tinha sido prometido. A história é previsível, como todas as histórias que falam de humanos, indígenas e guerras pelo meio. O início da história consegue ser interessante, no entanto. Já no resto, somos completamente esmagados pelas imagens a 3D. O mais bonito: Pandora, a sua diversidade e beleza. Tudo bonito e surpreendente. Nem tudo é perfeito, mas com imagens tão bonitas e novas, não nos ficam esses pormenores. Ao contrário de muitos, este é um filme que só pode ser visto no cinema. Vejam no sítio do costume o resumo.

Pelo almoço

Porque daqui a pouco me vou deitar. E porque esta música tem uma melodia, e só isso, que, para além de tudo o resto, me faz lembrar as conversas com os amigos. A melancolia e assim.

Mais comida

Quase passei o fim-de-ano com os amigos no Porto. Agora sei que não. Afinal vou passar com a minha mãe, os meus irmãos todos e os meus sobrinhos. E estou contente, se evitarmos alguns assuntos, tudo correrá na perfeição. O Natal durou 3 dias, parecia um casamento cigano, com aniversário pelo meio. A minha irmã faz anos no dia 1. Há já algum tempo que não estávamos todinhos juntos, em festa. Vai ser bom.

segunda-feira, dezembro 28, 2009

O Natal ainda não acabou

Hoje recebi mais uma prendinha: uma coisa que, pelo cheiro, apetece beber (mas, como sabem, estou "on diet"): blissful golden body gel (irresistible toffee). Brilha por tudo que é lado, como diz o nome. Se lhes contasse que foi o médico (e a mulher) da nossa família que me ofereceu, tem piada, não? Foi com eles que fui ao Algarve pela primeira vez. Eu e a minha irmã mais velha. Há muitos anos, tinha eu 15 e ela 21. Ainda não ofereci as prendas todas que comprei. E ainda não voltei a ver, à excepção de um cachecol, as coisas que fui comprando, à medida que ia comprando os outros presentes: 2 cachecóis, umas luvas, uns chinelos, várias peças de louça de artesanato e um colar. Entretanto, trouxe da viagem uma camisola do Maradona para o meu sobrinho de 3 anos, que lhe ofereci no dia 24. Claro que o puto, ansioso por abrir as coisas que tinha pedido, mal pegou na camisola, atirou-a pelo ar! Na verdade, eu já sabia que ele era mais animais. Mas, um ano destes, pode ser que lhe ache graça. Graça, achei eu. A esta coisa dourada.

Mais um ano a acabar

A melhor de todas foi um GPS (que funciona!). Depois foram os livros (2), os brincos (4), os porta-retratos (2), uma agenda, um azulejo, 6 sabonetes, 1 kit de beleza, uma fotografia, chá verde com jasmin e as trufas de chocolate. Sem ordem de preferência. Gostei de tudo. A brincar aos sabores e a provar de tudo por estes dias, na viagem e depois disso, deu no que deu. Pela primeira vez na vida vou fazer dieta. Parar de comer parvoíces. Deve ser isso.

quinta-feira, dezembro 24, 2009

Nessun Dorma (Pavarotti, NY 1980)

Pelo menos nestes dias estamos com as pessoas de quem mais gostamos. Desejo que passem todos um Excelente Natal! Que eu continuarei a ouvir Pavarotti.

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Sabores dos conventos

Acabei de comer um destes rebuçados. Ontem comprei umas latas destas para oferecer aos meus amigos mais gulosos. Não sou muito de doces, nem de comer muito. Mas estes dias, a par dos sabores que trouxe lá de fora, tenho provado algumas destas nossas coisas. E tenho gostado. O Natal começou há pouco. Ainda aqui volto para lhes desejar uns bons dias com a família.

terça-feira, dezembro 22, 2009

Gente simpática

Gostei muito do vinho, da carne, do pão, dos gelados, dos tragos de gelados, dos doces de amêndoa crocante. O trago de gelado de critinos foi a melhor bebida não-alcoólica que me lembro de ter saboreado. Maravilhoso. O espanhol dos argentinos é bonito. Não gosto de espanhol, mas gosto de os ouvir. E o tango. Nunca tinha pensado porque é que nunca me entusiasmou. Agora já sei. Gosto da música, mas muito menos da dança. Talvez os amadores tenham mais graça, os pagos, apesar de excelentes bailarinos, têm pouca. Graça. Essa deve ter ficado toda para os taxistas.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Coisas pequenas

O rapaz da casa de música que me sugeriu uma série de grupos argentinos tinha bom gosto. E eu soube logo disso, pela forma como ia falando dos grupos, à medida que mos ia passando para a mão. E os taxistas são uns castiços. Quando disse a um deles que os nossos maridos tinham ficado no hotel a descansar, ele riu-se. Quatro mulheres a passear sozinhas pela cidade é perigoso. Perigoso? Sim, para nós. As mulheres adoram os argentinos.

sexta-feira, dezembro 18, 2009

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Bem, e agora, de repente,

ao ler e ouvir isto a taquicardia agitou-se. Também foi por isso que o Natal me apareceu, hoje. Andamos todos a pensar neles. Se calhar, a falta de sono também é uma bebedeira, daquelas que nos levam para onde está o que realmente importa.

Já sabia que o vinho tinto sabia bem, mas não assim

Na realidade, precisava de dormir, pelo menos, 48 horas sem despertar. Estou com tanta falta de descanso, que hoje cheguei a casa e adormeci minutos depois de me deitar no sofá. Coisa muito rara. A taquicardia que sinto desde manhã também me incomoda. Amanhã, depois das horas que espero dormir, acordarei certamente sem este incómodo. Hoje voltei a pensar no Natal. Ou seja, nos amigos e na família. E depois descobri que isto já aconteceu. Não só gosto da rapariga, mas também muito daquele sítio. Veremos na próxima. Entretanto, até me esqueci que troquei há dias as roupas de Verão pelas de Inverno. Parece que já foi há tanto tempo, e este é só o 4º dia de frio. Contarei mais um pouco quando aqui voltar. Hoje ainda vou ler umas coisas até ir dormir, não as 48 horas como desejava, mas as suficientes para me lembrar que dormir faz bem.

domingo, novembro 22, 2009

Caras amigas,

Ainda bem que não pude ir ver o jogo na vossa companhia. No outro, as coisas serão mais pacíficas. Apesar das preferências. Esta é, inevitavelmente, uma música que me emociona. Mas quando se está bem disposta, esquece-se facilmente o desaire.

sábado, novembro 21, 2009

O tempo...

...não pára, dizia Cazuza. Mas todos sabemos que pára. Às vezes, como hoje.

quarta-feira, novembro 18, 2009

Outro mundial

Queiroz não anda com santas no bolso, nem pede a agitação das bandeiras, todos sabemos disso. Mas eu gosto dele. Nem sempre, mas muitas vezes. Quando dá entrevistas, sentado e com tempo para pensar e falar. Quando fala encadeado sobre o futebol. Já nem tanto quando fala logo a seguir aos jogos, nem sempre acerta nas palavras, azar. Apesar das críticas e da onda pessimista que por aí se viveu. Já aqui disse várias vezes. Há dias assim. Para festejar. Hoje é dia de festejar. Também, nunca acreditei que a equipa não ia ao mundial. Todos sabem o que penso sobre os brasileiros. Mas estou com esta selecção, porque não temos outra. É a vida.

domingo, novembro 15, 2009

Gostos não se discutem

Também sei que não adianta idealizar as pessoas. No amor ou na amizade. Elas são o que são. Interessa é que não se escondam, que mostrem as regras do jogo. Desde o início de qualquer coisa. A quem está deste lado, para as receber, cabe. Mostrar o que somos. Mas também, fazer escolhas. Seja no início ou mais à frente. Quando as pessoas não se escondem, a escolha é mais fácil. Mais justa. Ou se gosta ou não. Seja de um amigo ou de um amor.

Domingo de chuva

Também vejo assim este país. Algumas vezes. E também porque, como já sabem, gosto muito desta Carminho. Hoje é Inverno. Sem estar muito frio, está chuva e vento q.b.. Quando mostrei à minha irmã um blog que diz que o Pedro Lomba fica muito mais giro com barba, ela riu-se. E depois disse: Pois fica, tapa-lhe a cara. Mázinha, a minha irmã. Mas também, "giro" é capaz de não ser verdade. Mas que tem um novo blog "giro". Isso tem. Sobre a amizade. Um sentimento como outro qualquer. Mas dos bons.

quarta-feira, novembro 11, 2009

Até amanhã.

Estou a um passinho de perder a fé nos (H)homens, confesso. Mas continuo a gostar de coisas destas. De garagem.

Até mais logo.

As palas

Há pessoas que só têm jeito para se servirem a elas próprias. Deve nascer-se assim. Com jeito para si mesmo. Para tratar da sua vida. Sem paragens, nem arrependimentos. Eu conheço gente assim. Que me surpreende. Afinal. A preocupação com os outros também é uma forma de auto-destruição. Mas estes, não, estes, seguem em frente.

segunda-feira, novembro 09, 2009

Sempre gostei do Paulo Bento

Não percebo nada do losango, mas sempre gostei do Paulo Bento. O meu irmão fala mal dele há tempos. São os maus resultados. Mas a mim, não me iludem. Sempre gostei do Paulo Bento.

Treinadores há muitos, homens há poucos

Berlim é uma das poucas cidades europeias que não conheço e quero conhecer. Há 20 anos o Fernando trouxe-me dois bocados do Muro. Assim, em bruto. Retirados por ele. Grande jogo (vi a segunda parte). Com outro treinador já tínhamos desistido há muito. As substituições também foram um recado aos jogadores. Tenho visto poucos jogos. Contra o Braga não vi, por exemplo. Calhou, mas até correu bem não ter visto. Depois não vi quase nenhum jogo das goleadas. Mas estes sim, estes valem a pena. Vitórias a custo. Mas merecidas. Muito merecida. Parabéns aos jogadores. Não sei se os rapazes andam a perder estes jogos. Se andam, fazem mal. O Javi Garcia é um homem bonito. E bom jogador. Um dia destes vou à Luz.

quinta-feira, novembro 05, 2009

quarta-feira, novembro 04, 2009

Há poucos dias...

... conversei sobre isto. A propósito do padre das armas, a conversa desviou para aí. Toda a escola que tive foi pública. E nada tenho de meu para contar sobre estas aberrações da igreja. Já casos conheço muitos. O mais levezinho de todos aconteceu há muitos anos, era a minha irmã pequena, com 6 anos, quando o padre da terra lhe deu uma medalhinha. E lhe contou que tinha dado uma igual a outra menina, mas que esta tinha morrido porque a tinha perdido. Ora pois. Nesse dia, à noite, ninguém sabia do raio da medalha. A rapariga chorou a noite toda a pensar que ia morrer. E a minha mãe não descansou enquanto não a encontrou.

Na verdade, também lhe perdoo...

...tudo.

Factos

Quem tem amigos, não morre na cadeia. Das poucas coisas em que acredito. Mas ser amigo não é para todos.

O filme sobre a Motown que vi há dias...

... fez-me ir reouvir estas musiquinhas...

Ainda se trabalha...

...enquanto se pensa na ponte.

segunda-feira, outubro 26, 2009

Alegrias justas

Bonita a alegria do Fábio Coentrão no final do jogo. Rapaz que vi em dois dias seguidos no passado mês. Franzino, e a falar tão poveiro! Os 6-1 são exagerados? Vamos lá ver o que diz Jesus. Uma segunda parte demolidora. Foi o que foi. Gostei das respostas. "Nós não jogamos nos túneis, nós jogamos no campo". Nem mais. Voltar aos jogos, assim, fez-me rir. Se alguma vez tivesse twittado, diria que isto hoje parece o twitter.

A genica é isto

Depois das gracinhas dos bandeirinhas, só assim. Como se viu, o que vale é a grande vontade dos jogadores.

Diz o comentador...

... que o Benfica está a ganhar com dificuldade ao Nacional. Já me tinha esquecido o hilariante que é ouvir estes tipos. Quem dificultou a vida ao Benfica na primeira parte não foram os jogadores do Nacional, mas sim o árbitro e os seus colegas. Se foi isso que ele quis dizer, muito bem. Concordo. Não fosse a ofensiva vermelha e estávamos tramados, a esta hora. Vamos lá ver se conseguimos ultrapassar estas dificuldades até ao final do jogo. Já tinha saudades destes cromos.

Bem...

... se vai ser esta roubalheira, deixo já de ver o jogo. Que é isto? Aquele bandeirinha com cara de pintainho só pode ser do Porto. Isto sou eu a brincar, aviso.

Que grande jogada...

...acabo de ver. O primeiro golo do Benfica. Não tenho visto os jogos, portanto este futebol é novo aqui para mim. Será que os rapazes têm ido ao estádio? Nunca mais me disseram nada, aqueles dois.

E hoje à noite tenho uma coisa para acabar.

Depois da pequena cirurgia de uma hora e meia que o meu dentista resolveu fazer, faz hoje uma semana, passei estes 8 dias cheia de dores. Dores da cirurgia. Que acabaram em febre. Voltei lá hoje e acabei de voltar de lá agora. Perguntou se estava a fazer antibiótico. Deu-me uns pós que, pelos vistos, sabem mal, e que segundo ele são melhores que o brufen. Eu sei disto tudo, mas ele é que é o médico, e já que se portou mal no início da outra semana, que faça alguma coisa desta vez. Clonix só em SOS. Sei, é o que faço. E pronto, ao despedir-se, pediu-me desculpa. Se não o conhecesse há 11 anos, estava mais furiosa. Entretanto, chego a casa. Enquanto espero pelo jogo do SLB, vejo uns bocados do jogo do Chelsea com uma equipa qualquer. E ao ver os jogadores azuis, vejo que são os do costume. E lembro-me que é surpreendente como os jogadores do Mourinho se têm mantido nesta equipa. É, não é? Noutro entretanto, a minha irmã liga-me a dizer que pagou 65 euros para lhe tirarem os cordões dos pontos que lhe deram na gengiva, quando lhe arrancaram o dente do sizo. Não combinámos, mas não temos comido grande coisa.

A ganhar forças

domingo, outubro 25, 2009

Segunda-feira

A melhor coisa de ter passado o fim-de-semana no sofá foram os filmes. Mal vi o tempo lá fora. Mas esteve escuro. A semana está a começar e eu sem paciência nenhuma para sair daqui. Do sofá. Via outros tantos filmes. Quando estamos assim o corpo arrasta a mente para este estado. Já soube que no sábado o Benfica joga em Braga. E eu tenho um concerto. Azar.

sexta-feira, outubro 23, 2009

Além do resto, é giro e está ainda mais giro

Fico a aguardar fotos novas.

Ao contrário de outras pessoas...

... é quando me sinto cansada e farta da semana de trabalho que me apetece sair de casa. Mas esta sexta estou com febre. Coisa previsível, aliás. E quando fico com febre devo ficar melancólica. E lembrei-me do meu pai. Do quanto ele gostava de filmes de cowboys. E depois. De que gosto de cavalos. Que os devo associar a estes filmes. E dos filmes a preto-e-branco que devorava quando era miúda. Como os livros. Das tardes-noites em que ficava sózinha a ver estes filmes. Na 2. E também me lembrei que as minhas tias dizem muitas vezes (vejo-as tão pouco, mas passam muito do tempo a falar da beleza da minha mãe e dos seus pretendentes) que, naqueles tempos, confundiam a minha mãe com esta bonita mulher aqui em cima. Talvez a melancolia me dê para isto. Lembrar-me de afectos. De quem me faz falta. Ou de quem gosto sem razões.

O filme sobre a Motown devia chamar-se...

..."The Funk Brothers". Têm aqui, aqui e aqui excelentes excertos. Hoje, como quase planeado, foi um final de tarde musical. Para acabar uma semana malfadada. Com dores à mistura. Mas que já acabou, e em música.

Ando tão tão...

...tão cheia de coisas para fazer que até me esqueço destes meninos: aqui, aqui, aqui e aqui. Tudo juntinho aqui. Quando é que eles virão ao norte?

quarta-feira, outubro 21, 2009

Como estou numa de paz e amor...

... hoje comprei "Woodstock - 3 dias de paz, música e amor". Fui à FNAC buscar os bilhetes para os U2 e comprei as minhas prendas de Natal. Além do filme-concerto comprei "Motown - uma história" e "Deus Pátria Autoridade.... 1910-1974". E estive lá uns 15 minutos. E não posso gastar dinheiro.

segunda-feira, outubro 19, 2009

Lovelinesse

Entretanto, tenham uma boa semana. Todos. Que a minha começa com dores e vai ser cheinha de coisas. Daquelas que dão muito que fazer.

Vivendo sem Mim

Porque às vezes também vivo sem mim. Mas sobretudo porque Mário Pacheco (nas primeiras imagens) me emociona a cada vez que fala de Amália. Coisas novas, mas de que eu suspeitava.

O outro...

de que tenho falado... e assim sucessivamente, não é nenhum "outro". É sim, este maluco.

domingo, outubro 18, 2009

...

Estão uns dias tão bonitos. Vamos lá dançar. E assim sucessivamente (das poucas coisas que me ficou do outro).

Our Own Pretty Ways

E que para muitas coisas eu já cá não estou.

You're Not Coming Home Tonight

Isto fez-me lembrar que ninguém conhece ninguém.

Resumo...

...de um fim-de-semana mais ou menos de descanso

Compras para o Inverno
Moda
Bilhete para os U2 (sim tenho)
Passeio turístico pelo Porto (ninguém respondeu à reserva)
Tomar café ao sol
E assim sucessivamente…

sexta-feira, outubro 16, 2009

I Got a Feeling

I got a feeling
Concerning you
You know I got a feeling
Concerning you
Concerning the things you do...
I ain't dreaming
When I think of you
You know I ain't dreaming
When I think of you
When I think of what we gonna do
I got a feeling
Concerning you
You know I got a feeling
Concerning you
Concerning the things you do...

Há muito pouco tempo confessei-

-lhe. Que os tinha. Há uns dias e poucas horas.

quarta-feira, outubro 14, 2009

...

Não sei se todas as mulheres sentem isto, mas eu já conheci uma quantidade suficiente de mulheres para sentir que isto é tudo tudo verdade. Já a minha amiga Paula pensa que já não há homens destes. Pois. Tem tudo a ver com o resto.

Ponto de Luz

Não sei bem o que é um ponto de luz, mas a ideia não me desagrada.

domingo, outubro 11, 2009

Já as lágrimas de saudade...

... são outra coisa. E essas são por Lisboa.

Há pessoas...

...que já saíram da minha vida, mesmo sem se aperceberem. Ao pensar nisso facilmente soube. Todas me fizeram chorar. E eu com o tempo vou sentindo isso mesmo.

sábado, outubro 10, 2009

sexta-feira, outubro 09, 2009

Hoje foi um dos dias mais bonitos que vivi na faculdade

Há pessoas por quem tenho imenso respeito. Tantas, tão diferentes e por motivos tão diferentes. Também deve ser por elas que aturo outras tantas. Mesmo quando o que me apetece mesmo é desligar para sempre. Poucas, tão diferentes.

sábado, outubro 03, 2009

Dias estranhos, estes.

É muito raro lembrar-me dos meus sonhos. Ontem sonhei que um amigo meu e outro colega me diagnosticaram uma doença neurodegenerativa.

quarta-feira, setembro 30, 2009

...


...

Estou espantada com o Nuno Rogeiro. Hoje voltou a defender Cavaco com unhas e dentes e o diabo a quatro. Já o tinha feito há uns dias atrás. O homem fala de Cavaco de um jeito tão emocional que surpreende. Atropela todos que tentam falar e parece um tontinho a defender um pai. Bem, ouvi as declarações de Cavaco. Ouvi os comentários que se seguiram. Quase todos no mesmo sentido. Neste. Depois vou ao blog do Bruno, que já não visitava há algum tempo, e leio isto. Meus amigos, neste país está tudo doido. Alguém acredita que se Cavaco tivesse feito esta declaração atabalhoada antes das eleições os resultados seriam diferentes? Pelos vistos há.

segunda-feira, setembro 28, 2009

O meu irmão...

... emprestou-me um livro ontem, para o reaver daqui a uma semana. Um livro sobre liderança. Que ainda não se pode comprar cá. Há muito tempo que me tinha falado de uns tais livrinhos que ensinam a viver em comunidade. A suportar os outros, no fundo. Na sequência das tertúlias entre irmãos, que vamos tendo de vez em quando ao almoço, rapidamente percebeu que talvez não fosse pior emprestar-me alguns livros. Ainda não tive tempo para lhe pegar como deve ser, mas reparei nesta frase curiosa: para liderar é preciso estar disposto a servir. Poucas vezes tão poucas palavras fizeram tanto sentido.

domingo, setembro 27, 2009

Consta por aí...

... que há muitos indecisos. Perguntaram ao meu irmão se ele era um deles. E ele respondeu. Sim, estou indeciso, ainda não decidi se vou votar de manhã ou de tarde.

sábado, setembro 26, 2009

Em dia de reflexão...

... encontro isto, mais ou menos o que penso das sugestões de leitura.

sexta-feira, setembro 25, 2009

Votem...

... PS ou PSD, está bem? Nunca vos pedi nada.

Eu também adoro isto:

«Criação de um banco de cérebros em Portugal para promover uma investigação científica séria, eficaz e segura na área das Neurociências (como Alzheimer e Parkinson), acabando com o sacrifício de centenas de animais por ano para efeitos deste estudo». Adivinhem quem propõe esta bela medida? Mas estão a pensar usar os tais cérebros em vez dos animais, é? Riam-se mais aqui.

Estas eleições...

... são tão atípicas que anda toda a gente a dizer em quem vai votar. E há argumentos para todos os gostos. Este, por exemplo, vai votar num político "inteligente e articulado". Como se isto chegasse, fora o resto.

quinta-feira, setembro 17, 2009

Beijo.

10 razões para não votar PS, alguém...

...me diz? É que aqui está tudo explicadinho. E assim não é justo. Eu, felizmente, não preciso de ler tanto.

Juro que...

...só li isto depois.

Grande final

Ontem andei ausente o dia todo, mas depois fui ver o filme do Tarantino.

Ausência

quarta-feira, setembro 16, 2009

Nas legislativas não voto em branco...

... mas em branco votarei nas autárquicas. Pela primeira vez.

sexta-feira, setembro 11, 2009

Há 8 anos...

... que 11 de Setembro deixou de ser uma data.

Hoje acordei assim...

(Não queiras gostar de mim, sem que eu te peça
Nem me dês nada que ao fim, eu não mereça
Vê se me deitas depois, culpas no rosto
Isto é sincero, porque não quero dar-te um desgosto
De quem eu gosto, nem às paredes confesso
E até aposto que não gosto de ninguém
Podes sorrir, podes mentir, podes chorar também
De quem eu gosto, nem às paredes confesso
Quem sabe se te esqueci, ou se te quero
Quem sabe até se é por ti, por quem espero
Se eu gosto ou não, afinal, isso é comigo
Mesmo que peças, não me convences, nada te digo.
De quem eu gosto...)

...e ainda estou de ressaca.

quarta-feira, setembro 09, 2009

Tenho muitos e gosto de todos

Hoje uma das minhas duas melhores amigas ofereceu-me este colar. Ela sabe, porque foi vendo ao longo dos anos, que uso corações. Diz ela que se lembrou de mim quando, na casa de familiares, as miúdas lhe mostraram uma "loja" com várias peças. Teve graça. Também porque foi hoje.

Antes do jogo, em resumo...

... foi isto.

terça-feira, setembro 08, 2009

Momentos que correm bem, não por acaso

Uma amiga do PSD ligou-me no final do debate para me dizer que Sócrates tinha arrasado o Louçã. Não foi preciso esperar pelos comentários dos senhores da sicnoticias para saber disto. Também vi o debate. Hoje há que admitir que o homem esteve bem, muito bem. Espero que muita gente que vota BE também os tenha visto.

Num telejornal...

...pareceu-me ouvir isto, mas pensei que tinha percebido mal, claro. Até logo.

segunda-feira, setembro 07, 2009

Dark On Fire

A pergunta...

...que hoje quase me matou. Não a vou esquecer.

...

Confesso que não tenho simpatia pelas redes sociais. Actualmente, o meu nome está por lá em algumas coisas porque sou, na maior parte das vezes, uma pessoa simpática. Há 10 (+/- 1) anos achava alguma graça trocar ideias com gente estrangeira. Foi assim que conheci o Max, o Juan, o Jack, o José e a Tatiana. O ucraniano é o mais inteligente de todos. Um dos poucos que me continua a escrever, apesar dos anos que passaram. Nos dias de hoje, o tempo é precioso. Ensinaram-me há muito, tempo. Apesar de nem sempre lhe ligar, como devia. Mas, talvez também por isso, pelo tempo, gosto de ter as pessoas por perto. De as procurar ou de ir ao seu encontro. Com uma excepção, é assim que funciona.

Apetece-me...

...bater-lhe. Para sempre. Ele não sabe, mas devia saber.

domingo, setembro 06, 2009

Devia ter lido o programa do BE, não?

Nestes debates, as expectativas em relação ao desempenho de Ferreira Leite são tão baixas que qualquer frase que se entenda merece eloquentes elogios por parte dos comentadores de serviço. Aos fraquinhos, de facto, perdoa-se muita coisa.

Anedota de final de semana?

"Sócrates perdeu este debate porque tem muito menos credibilidade junto dos portugueses do que Paulo Portas". Aqui. E, já agora, aqui.

quinta-feira, setembro 03, 2009

Ainda não vi o do Tarantino...

...e já vem por aí o do Almodovar. Com uma mulher que, não sendo uma beleza, origina fotografias muito bonitas.

O Mário Crespo...

...hoje está histérico. Mais do que o costume. Acabar com aquele jornal não é um favor que fazem à nação? Nunca o vi, mas pelos bocados que me contam, e pelos excertos que, de vez em quando, os outros canais nos mostram, é o que me parece. Deve ser a primeira vez que alguém se lembra que há vida para além das audiências.

Muito interessante

Este post de Pedro Rolo Duarte, e os vários comentários ao mesmo, demonstram bem porque é que, contrariamente a anos anteriores, é tão complicado prever os resultados das próximas eleições legislativas. Apesar do bloco central ser uma inevitabilidade, diga-se.

quarta-feira, setembro 02, 2009

Tinha-me esquecido da dedicatória

Já aqui disse que tenho um fraquinho, por razões antigas, pela Blue Moon. Mas aquela Red Moon também era dedicada à equipa que jogou para marcar 8 golos.

Fiz a pergunta em Janeiro...

...ele respondeu em Maio. E eu vi a resposta em Setembro. Não está mal.

Red moon

sexta-feira, agosto 28, 2009

Eu vou

Já me compraram o bilhete para ir ver em Outubro Sérgio Godinho, José Mário Branco e Fausto. Não gosto de todos por igual. Às vezes, de nenhum gosto. Depende do dia. Não gosto de ter saudades, pelo menos em demasia, mas estes músicos lembram-me coisas assim. Um tempo em que ainda se acreditava. No país. Nas mudanças. Numa vida melhor. No poder da música e da palavra. Outro tempo em que andava muitas vezes de carro com a minha irmã e os meus sobrinhos pequenitos, e em que ouvíamos e cantávamos estas músicas até à exaustão (não é à toa que estes meninos, agora já crescidinhos, gostam de música do mundo, todo). O tempo de Zeca Afonso. Certamente irão lembrá-lo, cantando.

Musiquinha de uma noite de Verão

quinta-feira, agosto 27, 2009

...

A minha irmã vai votar na Manuela Ferreira Leite. Menos mal, há uns tempos ameaçava votar no BE. Algumas medidas do programa eleitoral hoje anunciado pelo PSD são curiosas. Ferreira Leite começa por querer agradar a professores e juízes, ao falar, respectivamente, na suspensão do processo de avaliação e em complementos remuneratórios. Isto não é uma caça ao voto? Depois, pretende suspender o TGV. Mas até quando? Fazer uma avaliação de todas as auto-estradas. Lutar contra a corrupção. Depois destes últimos anos termos todos assistido a casos atrás de casos de corrupção é suposto alguém acreditar nisto? Bem, acho que não me apetece comentar mais. Só mais isto. Rangel, em resposta a Marques Mendes, disse este enorme disparate: "a credibilidade da política não está na ética".

quarta-feira, agosto 26, 2009

...

Li hoje n'A bola, a propósito do Cardoso ter falhado 2 penaltis, que o Simão em 33 tentativas só falhou 2. E depois, não me lembro como, encontrei esta entrevista de 2008 feita a António Lobo Antunes. Nesta estava um pouco mais bem disposto. Mas a graça que lhe acho é a falar do futebol. E também do Benfica, claro.

terça-feira, agosto 25, 2009

E eu...

...que sempre gostei tanto dele. Uma amiga minha viu-o há uns anos, num aeroporto qualquer, e disse-me que tinha ficado surpreendida com a sua figura. Eu fiquei a pensar, pois é um atleta. Mas aqui percebo melhor o que ela queria dizer. A mulher é uma boneca, está bem. O homem é muito discreto, mas nós andamos distraidas.

domingo, agosto 23, 2009

Só contam...

...estes a sério. Dentro da confusão, houve sorte. Hoje vi o jogo, mas não sei se, assim, vejo os próximos. E ir ao estádio? Como diz a minha querida amiga, só quando for para fazer uma festa.

Banalidades

Fui ver o tal filme de que se fala. Sobre o triângulo amoroso. Two lovers. Falo do filme, não porque me tivesse emocionado, mas pelos comentários anteriores e posteriores que li sobre a sua história. Aliás, banal e previsível. Até no final. Pelos vistos, há quem queira fazer a analogia entre a bipolaridade de Leonard e os seus dois amores. Eu não vi nada disso. Na verdade, a doença bipolar é muito mais complexa do que aparenta no filme. Maníaco-depressiva. Aliás, se não soubéssemos que Leonard sofria desta doença, alguém desconfiava? Eu não. A personagem apareceu-me assim: carente, inconstante, dependente, introvertido, deprimida. Isto não é ser bipolar. Quanto aos dois amores. Eram mesmo as duas, amores? E ele pareceu-lhes dividido? Esta coisa dos homens se “apaixonarem” por mulheres carentes, frágeis, desorientadas, a gostar de outros, e a querer homens amigos para ajudar e desabafar, já é velha e gasta. Não deixando de ser real, contudo. Quanto ao outro amor. Uma mulher bonita, simples, que não esconde o que quer. Claro que cada um interpreta o final como bem lhe parece. Devemos gostar de quem gosta de nós, a mim foi o que me pareceu. E, na maior parte das vezes, gostamos mesmo. Nas outras vezes, andamos é distraídos, só. Leonard acaba por saber ler a sua história. Já estou como o M. na nossa viagem. Afinal o que é o amor? Estranha forma de vida. Alguém teve o bom gosto de escolher Amália e não outra. E nestas vidas que vemos no filme o que há de novo?

sexta-feira, agosto 21, 2009

Durante uma das nossas longas viagens...

...um dos rapazes perguntou o que era o amor. É fogo que arde sem se ver, disse de seguida uma das raparigas. E logo rimos, todos. Rapazes e raparigas. Falávamos do conceito. Das dúvidas, e do sentimento. Naquele instante voltei a sentir como, na diferença, somos todos quase iguais. Rapazes e raparigas. Mas que cada um sente o que sente.

Só vivendo, não há outro remédio

Enquanto vejo os jogos lembro-me que algumas pessoas misturam o romantismo com patetice. Talvez seja de ainda não terem vivido. O suficiente. Para entender o que os outros escrevem, para se expressarem de forma vivida, natural. Creio que isto não é nada difícil. Basta viver a sua própria vida.

Curiosidade morta

Mais um país que está visto. Como quem diz. A principal cidade, que era aquela que queria conhecer. Mais até pela futura morte do homem. Do resto, com uma pequena excepção, quase não me lembro. Turístico, como era de prever. E, por isso, a evitar. Mas a cidade é interessante. Com muitos contrastes, como é usual dizer-se.

sábado, agosto 08, 2009

...

Vi os últimos 25 minutos do jogo. Hoje, como é evidente, quem merece aquele troféu é o Quim. Boa reacção do homem que quase já não jogava pelo Benfica.

sexta-feira, agosto 07, 2009

Fora de Lisboa

Férias. Como muitas vezes me acontece, este ano entrei nas férias a pensar que tinha deixado alguma coisa por fazer, por decidir. Depois, a precisar de descanso, acabei por esquecer o tal esquecimento. E agora, de férias, tenho várias coisas para fazer antes de sair do país. Já no dia 11. O tempo melhorou um pouco. Sim, porque em Lisboa está sempre bom tempo, mas no norte é o que se diz. Não é que não goste de nevoeiro. Mas o sol também faz falta.

quinta-feira, agosto 06, 2009

O amor...

...perfeitamente metaforizado como presença instantânea e eterna, e misterioso como algo simultaneamente instantâneo e eterno tem e só pode ser. Diz o rapaz dos pássaros.

domingo, agosto 02, 2009

Ainda assim...

... nada é mais importante que o amor.

...

Descobri há dias que há uns livrinhos que nos ajudam a aturar os outros. Juro que os vou ler. Pode ser que ature melhor os outros, quando as férias acabarem. Leio bem os outros, mas falta-me esse tacto. De comunicar com a gente que me chateia. Com as pessoas intratáveis, com os desonestos, com aqueles que se julgam espertos, com os que não olham pelos outros, com os que vêem as pessoas todas por igual, com os que esquecem, com os que atropelam, com os que perdem o respeito, com todos os egocêntricos. Com a falta de carácter. Nada me chateia tanto. No fundo, sofro com isso. Segundo pessoa amiga, tenho que começar a ler esses livros. Pelos vistos, tenho muito a aprender. Nas relações com os outros.

sábado, agosto 01, 2009

Há muito que estava para escrever que...

... a dita rapariga traz muita gente consigo. E está tudo lá, quando canta. Não deixem de ver de quem falo.

Carminho - Espelho quebrado

Gosto muito de fado, mas de poucos que o cantam. Depois de Amália tudo soa menor. Esta Carminho veio dizer-nos que ainda há fado.

segunda-feira, julho 20, 2009

Anda tudo louco...

... com um certo blog (ger). Eu avisei que os homens portugueses são bonitos.

quarta-feira, julho 15, 2009

Quando...

... for grande quero estar assim.

sábado, julho 11, 2009

sexta-feira, julho 03, 2009

Audições

Antes de me ir embora, deixo-vos com a única coisa que me distraiu dos meus afazeres por estes dias: This is it. Hoje pela manhã, on tv. E, já agora, a que mais gosto. Desde sempre.

quinta-feira, julho 02, 2009

Se tudo correr bem...

...dia 9 reentro no país. Dias melhores não demoram a chegar. Fica melhor assim, está bem.

sexta-feira, junho 26, 2009

Pois este...

...vai ser sempre o ano da morte de Michael Jackson. Apesar de há muito nos ter deixado.

terça-feira, junho 16, 2009

Chateadinha...

...mas sem música não vivo.

sexta-feira, junho 12, 2009

Melhores dias virão...

... e eu voltarei com eles. Até já.

quarta-feira, junho 10, 2009

Ainda é cedo

Está um tempo. Parece Inverno. Eu não podia pedir melhor. Para condizer comigo. Detesto mágoas. Hoje dizia-me uma amiga: Eu gosto é dos trolhas, trabalham de sol a sol, estão sempre em forma, chegam a casa e damos-lhe um prato de comida, e pela manhã recebemos sempre um piropo. Os trolhas estão a ser subvalorizados, rematava ela. E fez-me rir. Claro que estávamos a falar de homens. E das nossas histórias. Abstractas. Porque assim tem que ser. Fez-me bem falar com ela. Há tantas histórias comuns, por muito que nos achemos diferentes. A contar também percebemos melhor o que sentimos. É como se estivéssemos ao mesmo tempo a contar e a ouvir. E chegar ao fim e perceber que nada fica na mesma. Gostava que as emoções fossem mais obedientes.

Viagens

Se não se viver o amor e o desamor, não chegamos sequer a saber o que é o amor. Por muito que se leia sobre ele. Contactei pela primeira vez com o amor aos 12 anos. Chamava-se Zé, o rapaz. E foi o meu amor durante muito tempo. Tinha 18 anos, e era um menino apaixonado. No dia em que fiz 13 anos veio a minha casa. A minha irmã, a que mandava em todos nós, fez um bolo lindo, enorme e maravilhoso. E ele dançou. Para mim. A festa até hoje me emociona, pelo bolo e pelo Zé. Contactei pela primeira vez com o amor aos 12 anos. Chamava-se O Sonho, o livro. Este livro, de meu pai, e que agora me pertence, foi sempre um encanto. Mas nunca deixou de ser um sonho. De quem eu gostava era do Zé.

segunda-feira, junho 08, 2009

quinta-feira, junho 04, 2009

...

Ontem, no final do dia, alguém me dizia: deixe lá vai receber em dobro. Hoje não acordei bem disposta, mas acabo de me lembrar que um desconhecido me ofereceu um café, logo pela manhã.

quarta-feira, junho 03, 2009

Houve dias melhores

Há dias assim. Em que tudo parece correr mal. E corre mesmo. Devia falar mais das coisas boas, eu sei. Mas das emoções boas, muitas das vezes, não consigo falar. Sinto-as, mas não mais. Aqui. Hoje foi um dia de chatices. Mais um em que me senti impotente. Para ajudar. Para tornar as coisas mais fáceis. Hoje foi um dia chato. Problemas sérios. Coisas mal resolvidas. De desconfiança e mal-dizer. Dias que detesto. Em que me apetece ajudar, mas também fugir. Dessa confusão. De que não gosto, nem procuro. No fim do trabalho. A tarde acabou com uma multa de 370 euros. Foi um dia. Que passou. E ainda tenho que responder a um mail.

segunda-feira, junho 01, 2009

domingo, maio 31, 2009

Vai-se embora, mas a frase fica. É bonito.

O Porto ganhou, como era óbvio.
Bruno Alves no final do jogo: "Tenho muito carisma pelos adeptos do Porto".

sexta-feira, maio 29, 2009

O Miguel...

... não é defesa esquerdo. Mas é giro que se farta.

Confesso....

...que me sinto muito baralhada por estes dias. As pessoas continuam a surpreender-me. Tenho este dom de as conhecer bem demais. De as ler, mesmo quando não gosto do que leio. Há outras que vêem bondade em tudo. Não é esse o meu dom.

quarta-feira, maio 27, 2009

Também gosto do Guardiola, apesar do resto.

Não mereceram estar na final, mas mereceram ganhá-la. Ronaldo fez alguns remates no início do jogo, mas aos 10 minutos já perdiam.

domingo, maio 24, 2009

OqueStrada - Oxalá te Veja

Desta vez, uma boa semana.

Proponho...

...acabar com a campanha eleitoral nas ruas. Não há paciência para este país nestes dias.

Ex-capitão do Milan

O campo de futebol fica hoje mais pobre e mais feio.

sábado, maio 23, 2009

Já ninguém se lembra, mas não era assim.

Hoje comprei um creme na farmácia. Custou-me 1,21 euros. Há algum tempo custava 10, 20 vezes mais, nem sei bem. Benditos genéricos.

Dias simples

Gosto de flores. Não de todas, mas de muitas. Quando era miúda, bem pequenita. Vivia num sítio que tinha um jardim lindo. Sagrado. Perfeito. Delineado. Todo verde, salpicado com molhos de amores perfeitos. Ficava lá no alto, e via-se de todo o lado da vila. Aquele parque era gigante e misterioso. Era assim que eu o via. Gostava das bolotas espalhadas pelo chão. Do rio maravilhoso. Das pedras cobertas pela água. Dos mais corajosos que nadavam no rio, mais fundo. Das sombras das árvores. Da fonte de água gelada. Dos piqueniques. Dos vizinhos. Deixei de morar na vila quando tinha 9 anos. Mas, muitas vezes, quando vou buscar coisas boas, lembro-me destes dias. E apetece-me voltar. Aos dias em que a minha irmã me falava do Pai Natal que habitava o nosso sotão.

Nunca vos apeteceu cozer alguém?

Hoje estava à espera de uma amiga com a minha irmã. Ela veio, e vinha a tremer. Por causa de um homem que estava sentado na esplanada. Com idade para ser nosso pai. Fiquei a saber o que tinha acontecido. Assédio. Descarado e nojento. Repetitivo. No trabalho, e em forma de ameaça. Dizia ela que tem que se acalmar para não lhe dar um murro. Das poucas vezes que o vê, agora. Já desconfiava que o mundo, às vezes, é muito real. Nos filmes não custa tanto.

Bom fim-de-semana, mais uma vez.

Mais uma música que eu toda a vida ouvi, cantada por tanta gente. Cantar parece tão fácil, ao ver e ouvir esta cantora, e quem a acompanha.

sexta-feira, maio 22, 2009

Sendo assim

Hoje tentei marcar uma ida e volta de avião. Que custa, neste momento, 500 e tal euros. Primeiro na net, depois na agência do costume. O senhor diz-me que, por este preço, ou até menos, ia para o Rio. Não vale a pena, diz-me ele. Se me tivesse dito em Janeiro, sabe quanto lhe custava? 49 euros. Pois é. Nunca consegui programar a minha vida à distância.

quinta-feira, maio 21, 2009

...

Num mundo perfeito todos podíamos ouvir o que se diz numa sala de aulas sem ficar chocados.

segunda-feira, maio 18, 2009

No fundo é...

...isto. Só o Benfica pode ter amores destes. E a escrever desta forma. Desculpem, mas não há outros.

domingo, maio 17, 2009

...

A que mais me divertiu? Shake that devil. E o resto? Uma emoção só. Tudo tudo.

Já eu...

...gostei muito muito desta música.

A música, a música...

Depois de ontem me ter esvaido em emoções. Hoje fui ver o meu Benfica a perder. Andebol. O que vale é que não aprecio por aí além a modalidade. Foi um jogo equilibrado. Mas o Porto, mais para o final, soube segurar a vantagem e mesmo alargá-la mais um pouco mesmo no final. Sempre bom ver um pavilhão cheio de gente. Sempre mau ver a claque do Porto a cantar cânticos anti-SLB, muitas das vezes, com o público a bater palmas e a cantar também. Triste, triste. Ver os miúdos lá. Enfim. Já falei disso antes. O meu outro Benfica ganha 0-3 ao Braga. Num jogo que estou a ver completamente ausente. Percebi que houve umas falhas do Braga no início. E que o Katsouranis saiu esgotado. Cardoso devia ter jogado mais, é isso que fica destes últimos jogos. Parece que ficámos em 3º lugar.

sexta-feira, maio 15, 2009

Depois de o ler

Há pessoas que passam por nós e nos atravessam. Como se fôssemos nada. Não que façam de propósito. É simplesmente assim. Mas depois, às vezes, não entendem que faz tudo parte do acaso. Dos astros. Que não têm culpa, nem autoria de nada. A vida dá tantas voltas e cambalhotas. São acasos. Pormenores. Momentos. Há pessoas que são como o mel. Não por culpa própria. Apenas porque são assim. Às vezes sem doçura. Mas são assim. E eu sei que estão todos perdoados. O tempo apaga quase tudo.

Morta mas alegre

Havia tanto para dizer sobre isto. Mas não temos tempo. A semana acabou e eu estou contentíssima. Além de o concerto estar aí, acabei uma série de tarefas datadas até hoje. Sinto-me como se tivesse agora uma folgazita para voltar a pensar em coisas que tenho pendentes. Mas antes disso. Folga para respirar, sem ter que cumprir coisas datadas, inadiáveis e de responsabilidade. Pareço uma escrava. Mas agora vou mesmo descansar. A cabeça e o corpo. A F. está como eu. Eu também estou a precisar de esvaziar a cabeça. De lhe dar descanso. Para voltar a enchê-la de coisas boas, além das preocupações rotineiras. Agora agora vou mesmo é tomar café e comer um pedaço de pão-de-ló de Ovar. Apesar de morta.

quinta-feira, maio 14, 2009

Ansiosa que passe a semana

Tudo abaixo, menos o Rui Costa, claro

O treinador não interessa nada. Já vamos na segunda contratação. É assim mesmo. Não sabemos ainda se ficamos em 3º, 4º ou 5º, mas já temos dois novos jogadores para o ano. Afinal, parece mesmo que ninguém pára o Benfica.

terça-feira, maio 12, 2009

De mudanças, novamente.

O Benfica cada vez mais se parece com os edifícios antigos e mal pensados, mal construidos. Só vindo tudo a baixo. Antes Jesus que Scolari. Só de pensar em Scolari. Jesus parece-me homem de chicote. E isso é bom, não é? Já Scolari. Deus nos livre. Homem que, pelos vistos, só pensa no imediato, e nunca teve tempo para pensar na formação. Cruzes credo. Sinceramente não acredito em tal asneira. "Deixa que te leve". Eu explico. Hoje estou a ver as notícias da TVI. Na RTP1 está a dar o festival da canção. Juro. E a SIC não dá. Juro. No telejornal da TVI o seu director acaba de dizer que a telenovela, que estreou ontem, bateu um record qualquer. Moniz diz que a dita tem todos os ingredientes necessários para o sucesso. Parece que muita gente se deixou levar, a fiar pelas imagens, pelos abdominais. O guarda-roupa não deve ter sido caro. Já não me lembrava de ver o noticiário aqui. Não deixa de ser cómico. A ver uma vez por ano, se calhar. Claro que estes dias de caminhada até Fátima são um festim para o pessoal da TVI. Só vendo é que se acredita.

segunda-feira, maio 11, 2009

Bom tempo, para quando?

No próximo fim-de-semana faça chuva ou faça sol não trabalho.
Apetece-me ir assim, para o campo.

domingo, maio 10, 2009

Abrir os horizontes

Enquanto vagarosamente preparo uma aula por aqui, assisto a um programa em que se fala do jogo do Porto. Ou melhor, a pergunta para os ouvintes era se o Porto era um justo vencedor do campeonato. Continua a espantar-me o ódio que alguns portistas têm pelo Benfica. Em vez de falar do seu clube, como de costume, falam mal do SLB. Na verdade, tenho alguns amigos assim. Em tempos, tal a forma disparatada e enraivecida como falavam sobre o meu clube, perguntei-lhes se, em crianças, lhes disseram que os jogadores e técnicos comiam criancinhas, e se tinham pesadelos com isso. Às vezes também me parece que as pessoas transferem o sucesso do clube para a sua própria vida. Na ilusão de se sentirem vencedores. Pior, quando isso serve de arma de arremesso. Eu gosto de ganhar, mas também sei perder. Este ano o Porto mereceu, apesar dos outros lhes terem dado uma grande ajuda. Há umas semanas fui à inauguração do Dragão-Caixa. Porque me convidaram, porque gosto de desporto, porque gosto de festas, e porque gosto de estar com os amigos. Surpreendentemente, correu tão bem, que nem Pinto da Costa falou mal do SLB. Gosto muito do meu clube, mas não tenho ódios por nenhum. Uma das minhas amigas portistas disse-me que, se fosse ao contrário, nunca iria à Luz. As pessoas dizem que é normal a rivalidade. É, mas não a estupidez. Irrita-me um bocadinho quando perguntam aos adeptos sobre a vitória do FCP e logo falam do SLB, confesso. Mas é só isso. Agora gosto é do Benfica. Ganhem ou percam.

Dance Dance Dance

Maio é um mês trágico para quem quiser gastar dinheiro. Em concertos. O do dia 16 ofusca todos os outros, mas há muita muita coisa para ver. Haja tempo e dinheiro.

Animação

Ferreira Leite diz que temos medo de falar com desconhecidos e de falar ao telemóvel. Temos?

sábado, maio 09, 2009

Solidários

Bonito também é ver a minha equipa ajudar outros clubes em risco de despromoção.

Bonito, não é?

Um dos poucos rapazes que me interessou no liceu cantava o Blue Moon divinamente.

quarta-feira, maio 06, 2009

92:14

Lembro-me agora que também sempre gostei do Guardiola. Não posso crer. 92:14.

Aguas Mil

Sempre achei que os homens portugueses são bonitos.

segunda-feira, maio 04, 2009

10 euros para ver Alela Diane

Não tenho assiiiiim grandes motivos para estar bem disposta. Mas, com este tempo, não há quem resista. Nem quem tem de trabalhar. Só de pensar no sol que estará lá fora, já se fica melhor.

domingo, maio 03, 2009

A anedota do fim-de-semana é...

...esta.

Exaustão

Não há paciência para este Benfica. Não vi o jogo, como de costume. Que o campeonato acabe rápido. Começar de novo. É o que é preciso. Mas sem grandes ilusões, como de costume. Nada justifica esta classificação. Para o ano será mais do mesmo? Soube deste resultado miserável durante um evento gastronómico. Nada sei sobre o resto das pessoas, mas das mais ou menos 30 pessoas que ocupavam as mesas que estavam mais por perto, só havia 3 benfiquistas. Dois na minha e um na outra a seguir. Ficaram os outros contentes, claro está. Este fim-de-semana correu-lhes bem.

sexta-feira, maio 01, 2009

O último, se calhar.

Bem, vejam só mais isto. Talvez gostem, como eu.

Para além das vozes

Juro que não gosto destes concursos. Nem os vejo. Mas, a propósito daquelas duas vozes de que se fala, descobri isto. E o tal Simon tem toda a razão. Apesar de nem sempre o trabalho compensar. Como devia. Agora que é bonito ver o resultado desse trabalho, como nestas coisas, isso é.

Bom fim-de-semana, prolongado.

Dificilmente se canta, ou toca, melhor um qualquer original. Mas esta versão não se ouve mal.

quinta-feira, abril 30, 2009

...e por aqui.

...e por aqui..

Mais descanso...


...por aqui...

Não se esqueçam...


... de reparar.

Descansar

Não sabem. Mas eu não gosto de ouvir as crianças a cantar. Fado, então. Com raríssimas excepções, as crianças não sabem cantar. Suporto o rapazito que está ali em baixo, porque a minha mãe sempre falou do rouxinol. Nunca suportei os concursos de crianças. A cantar. Talvez aquele italiano, enquanto criança. As crianças não sabem cantar. A alma só deve crescer em nós quando já não somos crianças. Mas este rapazinho agrada-me. E este senhor continuará a emocionar-me. Como poucas coisas. Apesar do grande alarido que tem havido com aquela senhora, que apareceu há dias no mesmo programa.

Semanas animadas

Hoje desejaram-me uma boa queima. Até teve graça. também porque foi de um aluno, o desejo. Foram sempre semanas inesquecíveis, ao longo dos anos. Mas estão tão longe, que só posso desejar, a todos que estejam nessas condições, uma Boa Queima!

Ideia maravilhosa

sábado, abril 25, 2009

Telma Monteiro

Sempre bonito ver um atleta medalhado chorar ao som do hino nacional.

domingo, abril 19, 2009

O campeonato há muito que está decidido

Nem vale a pena falar de árbitros, hoje.

Arrastão

Nesta trapalhada toda em que tem estado envolvida a equipa do Benfica, nestes últimos anos, muito poucas coisas há boas. Katsouranis é uma delas. É evidente que eu não percebo nada de tácticas futebolísticas. Era o que faltava. Gosto é de os ver jogar. Aos bons jogadores. E, por isso, não sei se Quique tem feito boas opções na escolha dessas tácticas. Não sei como será se o homem continuar. Até porque, pelo que dizem, vamos ficar sem alguns jogadores. Katsouranis? Mas, apesar dessa incerteza, espero que continue. Há quanto tempo não vemos estabilidade nesta equipa? De treinador e jogadores.

Uma boa e uma má notícia

Nadal: penta-campeão. Sem ser extraordinária, mas uma razoável final.
Manchester: eliminado pelo Everton. Não vi o jogo. Só os penaltis. O Ronaldo não jogou?

Gostava mesmo era de estar a ver isto

sábado, abril 18, 2009

Bomba Relogio

As palavras, ás vezes, ouvem-se tão bem.

sexta-feira, abril 17, 2009

Na próxima semana

Chego cansada a mais um final de semana. Poucas horas de descanso. Por falta de tempo para dormir. Por falta de sono, algumas das vezes. Recebi uma boa notícia durante a semana. Desta vez, sem segredos. No meio de tanta coisa chatinha, que me tem moído, soube bem a notícia. Estou a precisar de me multiplicar com as coisas que tenho para fazer nos próximos tempos. Vou tirar uma hora por dia para planear o futuro. O meu e o das coisas. Pendentes. Afinal, o que preciso é de pensar. Parar e pensar. No que tem de ser feito. No que quero. Fazer e não fazer. E também nas coisas que tenho que esquecer para sempre. Nas saudades que ainda sinto, quando já não devia. No que tenho de novo. Que me alegra. Desculpem, mas não quero mais nada. Só alegrias. Nas fitas da minha pasta preta, uma professora, num Maio já distante, escreveu mais ou menos isto: "que as pessoas pela sua vida fora correspondam ao brilho dos seus olhos". Com, ou sem, brilho, façam o favor de corresponder.

quarta-feira, abril 15, 2009

sábado, abril 11, 2009

Gospel

Tinha-me esquecido de ouvir este CD, que me emprestaram há já algum tempo. Ouvi há uns dias e gostei. É o que tenho ouvido, enquanto conduzo.

Sing sing sing

sexta-feira, abril 10, 2009

Musicando antes dos livros

Segundo uma notícia de ontem-hoje as funcionárias da Loja do Cidadão, ou afim, não devem usar nem decotes nem mini-saias, segundo as recomendações internas. Manter um hálito fresco, é outra das recomendações. Esta, sim, tem piada. Este caso lembrou-me um anúncio que andou por aí a publicitar um anti-gripal. Um tipo telefonava para o patrão, a dizer que estava com gripe e que não podia fazer as entrevistas que estavam marcadas. O patrão, enquanto falava ao telefone com ele, olhava para as mulheres que esperavam para ser entrevistadas. E, olhando para uma delas, de mini-saia e decote pronunciado (como dizia, pelos vistos, nas recomendações), que se levantava na sua direcção, dizia: Não te preocupes que eu faço as entrevistas. Isto não é tudo pavoroso? Desculpem, mas venha de lá a censura. A minha irmã, no escritório, diz que qualquer dia vai colocar um aviso, interno e externo, "antes de entrar ponha as maminhas para dentro".
Diz uma senhora na televisão que hoje faz o sacrifício de não comer carne. Faz o sacrifício de comer arroz de marisco. Diz uma menina, também na televisão, que os professores não fazem algumas coisas porque agora estão a ser avaliados.
Todos os projectos musicais que envolvem crianças e aldeias me emocionam. Sorte destas crianças que conhecem pessoas tão musicais e generosas. Um pai diz que prefere comprar uma bateria, ou uma guitarra eléctrica, ao filho do que trocar de carro.

Treino

O Estrela da Amadora voltou a treinar. Afinal, desta vez, joga com o Porto.
O Hugo Almeida nunca jogou bem na selecção. Toda a gente reconhece. E na Alemanha? Falam tanto do Ronaldo. Não é este um caso ainda mais flagrante?
Anda toda a gente a suspirar pelo Quique. Eu, depois do entusiasmo inicial, estou a ficar fartinha dele e das suas declarações. Fora o tempo de que precisa a equipa. Não gosto da arrogância do Mourinho, mas não haverá um meio-termo?

terça-feira, abril 07, 2009

Grande jogo

Não gosto de muitas coisas relativas ao FCP. Mas continua a ser esta grande equipa que se viu hoje. Fora as rivalidades nacionais, é um orgulho ver uma equipa destas jogar desta forma contra o grande Manchester. Já enviei mensagens a alguns amigos portistas. Para quem gosta de futebol, e gosta do que é nacional, hoje foi um prazer ver o Porto jogar.

segunda-feira, abril 06, 2009

Inspirador

Entretanto, em Ourique

Este diálogo podia fazer parte de um bom filme.

A difícil condição de ser doente

Hoje entrou-me pelo gabinete uma senhora de robe azul. Velhinha. Disse-lhe, a senhora está enganada. Estou, não estou? Está, disse-lhe eu. Para onde é que a senhora quer ir? Para a minha aldeia. Levantei-me e fui levá-la em direcção ao sítio donde muito provavelmente saiu. Fico sempre muito atrapalhada com respostas destas. Há uns tempos, outra senhora andava à procura do advogado. Fico atrapalhada porque me lembro da nossa fragilidade. Pensando agora nisso. Também me lembra a difícil condição de ser doente. A primeira vez que li isto foi há muitos anos. A difícil condição de ser doente. Escrito por um cirurgião, na altura já jubilado, num livrinho fino, esquecido e empoeirado numas estantes. Tinha 22 anos, eu. E, desde que li aquele livrinho que falava dos doentes, mudou o meu olhar sobre este homem. Que, num desses dias, também ele velhinho, a passar no corredor, me viu, e perguntou. Que idade tens? 22, respondi. Está bem, disse-me ele.

domingo, abril 05, 2009

Primavera esquecida

Não há nada melhor que as ligações desinteressadas. Essas, sim, valem a pena. O resto é uma bela treta. Também é disto que falo. Do que custa viver nesta treta. De gente. Mas, como diz o António, aquele amigo que espalha cor e palavras bonitas por todos nós, só temos 7 dias para viver.

quarta-feira, abril 01, 2009

...

Morte anunciada

As pessoas continuam a surpreender-me. Não sei se tenho forças. Para as aturar. Para saber coisas que não queria saber. Para ouvir coisas que não queria, nem mereço, ouvir. Um dia, uma das minhas duas melhores amigas disse-me que, se tivesse que me atribuir um adjectivo, diria íntegra. E eu, da forma que sou, gostei do que ela disse. Não me passava isso pela cabeça. Que a ela lhe andasse isso na cabeça. Há tantos adjectivos. Já eu, se tivesse que dizer, diria inteligente. Ela é uma das pessoas mais inteligentes que conheço. Estou com tantas chatices na cabeça, minhas e de pessoas a quem quero muito. Que me sabe bem pensar nestas amigas. Que de mim pensam assim. Desgraçada estava se só tivesse que pensar naquelas para as quais não tenho forças. Anseio por dias melhores. Daqueles que se passam facilmente.

domingo, março 29, 2009

E disto, gostas?

A derreter as horas

Muito interessante a distinção entre informação e conhecimento. Eu gostava de ter mais tempo para conhecer melhor as coisas. E a informação. Distinguir sonhos e desejos/vontades. Os sonhos, pelos vistos, perduram. Um sonho é um projecto. Os desejos, esses, como sabemos, passam. Às vezes logo no dia seguinte. Isto também saiu de uma conversa que ouvi entre uma jornalista e um médico/escritor. Não sei bem se penso mais em desejos ou em sonhos. Mas parece-me mais fácil desejar do que sonhar. A propósito do que comemos, lembrei-me que algumas pessoas dizem que a comida oriental é muito saudável, e que, por isso, se devia comer mais daquela comida. Eu não concordo nada com isso. Aqueles sabores agradam-me pouco. E sei que se pode comer saudavelmente sem abandonar a comidinha portuguesa. Isto porque me dizem, não gostas? Olha que é muito saudável.

sábado, março 28, 2009

Leite frito

Ontem à noite ri-me tanto que não me lembro de uma noite assim. Foi um jantar com 10 pessoas e um café, numa mesa só para nós. Hoje fui à bola. Já me tinha desinteressado pelo jogo da selecção, quando me ofereceram o bilhete. Estava muito frio. Fiquei atrás da baliza, a meio da bancada, onde Portugal jogou na primeira parte. Nunca tinha tido tal perspectiva do jogo. Toda a gente sabe que fui, e sou, contra as nacionalizações, mas Pepe continua a jogar bem. E Deco é Deco. No estádio a equipa não convenceu. Continuo a dizer que não gosto da atitude dos jogadores. Deviam deixar o estilo fora de campo. Carlos Queiróis pode ter culpa. Também tem, provavelmente. Alguém percebe que anda lá a fazer o Hugo Almeida? Mas, e os jogadores? Estou convencida que o Leixões ou o Braga tinham ganho facilmente este jogo. Dizem que o treinador não tem garra e tal e tal. Ter que ganhar um jogo não é motivação suficiente? Ouvi na rádio, e depois na televisão, que a equipa jogou bem (muito bem) e que fizeram tudo para ganhar o jogo. Foi? É que no estádio não pareceu. Outra coisa. Faltam animadores no estádio. Não dos histéricos. Mas não tenho dúvida nenhuma que, naqueles momentos mortos, em que quase se adormece, ou, quando fica tudo em silêncio, faz falta alguma animação. No intervalo também não ficava mal uma diversão contra o frio. Com o frio fiquei pior da lesão muscular.

quarta-feira, março 25, 2009

Outras filias

Lembro-me agora, assim de repente, que me acontece o mesmo com os filmes do Almodovar. Não preciso de entender espanhol para ficar a saber contar a história toda. Lembro-me que foi assim com "tudo sobre a minha mãe". Também nos outros em que estava o Bosé, por exemplo. Bem, chega de fugas. Tenho que olhar para os gráficos.

Musicofilia

Sempre achei que se perde muito da música quando se percebe a letra. Também por isso, gosto tanto de música. Do mundo. E também do mundo é esta pintura. Reparem nela.

Obrigada

Não pensem que gosto de me sentir assim. Aborrecida. À flor da pele. Hoje, a pedido, enviaram-me umas músicas. Uma delas é uma canção de amor, como dizia o remetente. Podia contar-vos o que me tem melhorado, vagarosamente, mas são coisas tão pequeninas que não iam acreditar. Ando tão à flor da pele. Mas, o melhor do mundo são as pessoas.

segunda-feira, março 23, 2009